quinta-feira, 24 de junho de 2010

Tomou pinga, assaltou e tomou pinga de novo




Virgílio é um cabloco de quarenta anos, desempregado e desesperado. Ele queria ver o jogo, sua esposa, Lúcia, queria assistir a novela, isso gerou uma discussão, ele se irritou e foi pro bar.
O dono do bar é o Negão Alcides. O bar tinha um balcão com alguns bancos, três mesas com alguns velhos se embriagando e duas mesas de sinuca, com outros velhos jogando, bebendo e cantando as músicas que tocavam no jukebox.
_ Alcides, me vê aí uma pinga!
Ao lado de Virgílio estava um homem de aproximadamente 50 anos, seu nome era Raimundo, ele já estava alto na cachaça.
_ Tu tá aperriado com o que, Virgílio?
_ Com a minha mulher.
_ Tua mulher é chata mesmo, e feia. Por que tu não mata logo ela?
_ Raimundo, cê ficou louco? Ela é chata, é feia, mas é minha mulher e eu amo ela.
_ Então mata outra pessoa. Matar faz bem, tu vai se sentir bem melhor. Lá na minha terra eu já sangrei muita gente.
_ Cê é de onde mesmo?
_ De Piancó, lá na Paraíba.
_ E matou gente lá, é?
_ Matei.
Virgílio e Raimundo tomaram várias doses de pinga, e Raimundo foi relatando os seus "causos":
_ A primeira pessoa que matei foi uma puta, em João Pessoa, foi em 1978. Matei também um cabra num cinema em Guarabira, ele estava se passando com minha namorada. Depois fiquei anos sem matar nenhum, até que em 94, pouco antes de vir pro Sul, eu matei uma sapatona no dia de Cosme e Damião, em Cajazeiras. Depois disso, já tava meio véio, aí parei, fiquei mais calmo, mas tenho meu revólver té hoje.
_ E que revólver é?
_ Um .38, cano curto.
_ Me empresta?
Raimundo tirou a arma do bolso.
_ Tó, tá carregada, vai se divertir, vai.
Virgílio levantou e foi andando. Alcides o chamou:
_ Virgílio, tem que pagar a conta.
_ Vouconseguir um dinheirinho e já volto.
Virgílio entrou numa lanchonete que tem na sua rua e pediu para Carol, uma bela adolescente que trabalhava lá, que esvaziasse o caixa. Ele encheu um saco de dinheiro e saiu correndo, um cliente se meteu a heró e levou um tiro na cara. José, o gerente da lanchonete ligou para a polícia e descreveu o assaltante.
Virgílio retornou para o bar do Negão Alcides, jogou uns trocados sobre o balcão e disse:
_ Alcides, a saideira!
Alcides serviu a bebida a Virgílio. Antes que ele pudesse tomar a dose, dois PMs, soldado Rubens e soldado Pereira, entraram no bar a atiraram na cabeça de Virgílio.

FIM

terça-feira, 22 de junho de 2010

Oportunidade de Trabalho

Estou em uma sala de aula, de um curso profissionalizante qualquer. A prefossora é gorda, simpática e inteligente. Vejo mais mulheres do que homens, elas são jovens e atraentes.
O que essas mulheres jovens e atraentes pretendem com este curso? Roubar o lugar dos homens no mercado de trabalho, de certo.
Por que elas não vão se prostituir?

FIM

quinta-feira, 10 de junho de 2010